COMPARTILHE

No futuro… você vai dormir com mais frequência?

Com essa pergunta, o arquiteto J.Mayer H. apresenta uma nova criação. Uma sala que promete ser o ambiente mais propício para um cochilo de até 45 minutos.

Dormir com mais frequência não significa dormir mais. O que sugere o arquiteto é que futuramente nosso ciclo de sono deverá mudar em virtude de uma nova rotina (ou a quebra dela?).

Já que os limites entre trabalho e lazer têm se estreitado, por que não diminuir os limites entre o sono e a vigília? (J. Mayer H., em seu site oficial)

Esse conceito, o arquiteto chama de sleeping around, o qual ele acredita que se tornará popular no futuro. É bem verdade que algumas empresas já flexibilizam mais os horários, permitindo que cochilos sejam tirados pelos funcionários em horário que, teoricamente, seria de trabalho. Porém, características únicas diferenciam essa instalação de outros ambientes similares.

O protótipo, chamado de Nap Gap, foi apresentado na Bienal de Design de Istambul desse ano, com o intuito de oferecer descanso aos participantes entre as atividades. A instalação não é silenciosa, como você poderia imaginar. Há um sistema de som interno que emite sinais sonoros conhecidos como ruído rosa, que nesse caso funcionam como indutores de sono.

O ruído rosa é o mais próximo que temos de sons naturais, como chuva ou folhas ao vento. (J. Mayer H., ao Dezeen)

O teto possui lâmpadas com brilho intermitente, que sutilmente modificam a tonalidade rosa da sala. As paredes, forradas com papel de parede e as almofadas no meio da sala, dão um aspecto relaxante ao ambiente.

The Nap Gap - Jürgen Mayer H (1) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (7) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (6) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (5) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (4) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (3) The Nap Gap - Jürgen Mayer H (2)

Mas por que 45 minutos, como dito acima?

O sono polifásico foi muito utilizado na história. Caiu em desuso pela sociedade após a revolução industrial e a criação de jornadas de trabalho, mas vem voltado às rotinas das pessoas com o passar dos anos e a maior flexibilidade nos expedientes. Acredita-se que personalidades como Leonardo da Vinci, Benjamin Franklin, Thomas Edison, Nikola Tesla e Napoleão Bonaparte eram adeptos do padrão. Há inúmeros fatos e inúmeras teorias sobre as diferentes formas de sono polifásico. J. Mayer acredita que uma cochilada não deve superar 45 minutos.

Eu acho que cochilos de 45 minutos é um ritmo muito bom e funciona com os círculos de sono. Dez minutos também é muito bom, mas entre 45 e 90 minutos é bem complicado porque você está em profundos estágios de sono REM, sem saber onde está, e isso torna mais difícil de acordar.

O infográfico abaixo (em inglês) é um guia interessante sobre como tirar proveito de um bom cochilo.

Infográfico - Soneca

Gostou do que viu aqui?

Todo sábado enviamos um e-mail com os artigos da semana. Entre em nossa lista: