Guilherme Espir

108 Artigos 0 Comentário
Publicitário em formação, zappamaníaco e escritor de fundo de quintal fissurado em música tal qual um viciado à espera da próxima dose, neste caso aguardando em abstinência para o próximo disco.
Na noite do dia 31 a brisa do psicodélico evento da Abraxas foi mais forte e seu impacto mais profundo, formando as camadas de fumaça da noite com quatro atos: Mars Red Sky, Hierofante, Hammerhead Blues e Saturndust.
''These Are The J.B.'s'' só viu a luz do dia no ano passado, quase 44 anos depois da gravação que, além de ter James Brown como produtor, gerou um aperitivo fantástico que era bom demais para ser uma gravação teste e morrer em rolos de fita mofados em estúdio.
"Diana & Ross" é mais um álbum para entrar na lista "fase de ouro Motown", uma aula vocal lançada em 1973. A maneira como eles cantam faz o ouvinte se lembrar do sentimento orgânico, da beleza de juntar e ouvir um som tão belo e bem tocado como esse, repleto de detalhes e envolto por vozes sublimes, as melhores que existiam na época.
A Casa do Mancha é uma das casas mais especiais da cidade de São Paulo. Domingo (24/05), por exemplo, tocaram Macaco Bong, Bike e DaVala e o Núcleo Sujo. Todos chegaram sem frescura, mandaram um som, tomavam uma cerveja, trocavam ideias e além de boas músicas o que fica é justamente esse ambiente anti-rockstar.
Com os paulistas da Bombay Groovy o nirvana chega e ainda se mistura com nosso próprio DNA em prol da miscigenação musical. Leia a entrevista com a banda.
Zeca Baleiro resolveu reviver seus tempos de "cosplay de Zé Ramalho" e voltou para a capital paulista para promover o lançamento do DVD "Chão de Giz", um gloriosos tributo ao mito paraibano.
Temos aqui cerca de 10 minutos de um som que para variar é formidável. O trio é de uma criatividade soberba e o EP espanta pela alta qualidade instrumental uma vez mais.
Ver como o silêncio muda as coisas foi realmente chocante. Entrar no ônibus e notar a face de poucos amigos de seus frequentadores... Olhares frios e completamente passageiros que se cruzam, mas se mostram completamente indiferentes, é tudo muito individual e, sem música, o sentimento é ainda mais congelante.
Climão improvisado sem exagero, com bastante feeling, timbres cristalinos e uma dose de swing venenosa. Isso é 'Tempo Bom', single do Messias Elétrico que estará presente no segundo álbum da banda.