COMPARTILHE

Essa é uma missão dura. Explicar em palavras certas experiências é praticamente impossível. Vibrações não se leem, se sentem. E para sentir, tem que viver, tem que estar lá, pisando na terra, respirando do mesmo ar, bebendo da mesma água… Sentindo essa sintonia tomar conta de todo o corpo, como se a natureza, as estrelas, o sol, as pessoas e a música fossem um só ser, por uma só razão, celebrar a vida.

Por isso assumi essa missão, para que de alguma maneira se possa mudar o julgamento precipitado e preconceituoso das pessoas e principalmente da mídia convencional, que usa de esteriótipos das festas comerciais, conhecidas como “raves”, para distorcer o que realmente são essas celebrações pela música, pela natureza e pelas pessoas.

Festival Pow Wow Santa Maria-RS
Festival Pow Wow Santa Maria-RS

Até pouco tempo atrás, eu mesma não conhecia nada disso e achava que música eletrônica era tudo a mesma coisa. Nunca tinha ido a nenhum festival, nem a nenhuma festa como essa. De repente, de um dia para o outro, estava em um dos maiores festivais de trance do Brasil, em uma praia paradisíaca na Bahia. Foi como uma paulada na cabeça, que me fez rever conceitos e experimentar algo muito novo e interessante. Depois disso, nunca mais deixei o “trance”.

O Festival Pow Wow Blue Beats – Convocando as Tribos para celebrar a Nova Era – é um exemplo disso. Realizado em Santa Maria (RS), o festival mistura música, arte, cultura e terapias alternativas, em um espaço rodeado pela natureza. Oficialmente foram cinco dias, porém como acontece em muitos festivais, algumas pessoas vão dias antes para auxiliar na organização geral do evento. Toda a estrutura do festival foi pensada de uma maneira que não agredisse o ecossistema do local, o Passo do Verde, uma região privilegiada de mata nativa, banhada pelo rio Vacacaí. Lá foram construídos banheiros ecológicos, cantina para a comercialização de alimentos, além de outras estruturas do festival, divididas nos quatro elementos água, fogo, ar e terra.

Espaço Terra

Tenda ‘Terra’ Tutumbaiê deu início ao festival com atividades Xamânicas, coordenadas pela Aldeia da Paz Nação Tutumbaiê. Foram realizadas cerimônias de Oração, Busca de Animal de Poder, Temazcal, entre outras atividades nativas indígenas.

Nação Tutumbaiê: A Nação Tutumbaiê – Aldeia da Paz -, é uma comunidade xamânica que fica em Santa Maria – RS. Trata-se de um refúgio espiritual onde são realizadas cerimônias xamânicas de cura, atendimento terapêutico, estudos e práticas de auto-conhecimento, trabalhos com a terra, além de bioconstruções. Um núcleo de pessoas que se comprometem em desenvolver e semear a verdadeira cultura humana: a Cultura da Paz, do bem comum, da ternura, da ecologia, da convivência harmoniosa com todas nossas relações e da auto-sustentabilidade.

 

Espaço Terra

Espaço Terra

Espaço Água

O espaço ‘Água’ Holístico foi dedicado às Terapias Alternativas como Yoga, Reiki, Cura Quântica, Cristais, entre outras. Houve também nesses dias apresentações artísticas de indígenas nativos da região e de bandas acústicas em volta da fogueira.

Espaço Água - Terapias Holísticas
Espaço Água – Terapias Holísticas

Espaço Ar

Ambiente ‘Ar´ Chill Out, um local tranquilo dedicado a música relaxante e meditativa.

Trance Pow Wow

Espaço Fogo

A pista ‘Fogo’ Dança abriu para ativar a energia da dança e celebrar em união e alegria. Foi inciada no segundo dia do festival com bandas de reggae. A abertura oficial aconteceu no terceiro dia com a cerimônia de abertura e o Psytrance (psychedelic trance ou trance psicodélico) seguiu, sem parar, até o fim do evento.

Espaço Fogo - Pista
Espaço Fogo – Pista

 

Pista dia
Pista dia

 

 

Planeta Manix

Além de tudo isso, o festival ainda contou com um espaço dedicado às crianças, também frequentadoras do evento. O `Planeta Manix´ ofereceu várias atividades como Escola de Gnomos, Sincroninho da Paz, números de Clow, jogos teatrais e manipulação de bonecos e máscaras.

Crianças também frequentam o festival
Crianças também frequentam o festival

Ao fim do evento, nada no chão além das marcas dos pés de quem dançou, pulou, viveu e sentiu a energia que tomou conta do local durante aqueles dias. Outros festivais chegam e as pessoas se encontram novamente para celebrar a vida. Uma vez dentro desse barco, dificilmente você vai querer sair dele.

`Ame e faça o que quiser´

Conheça mais desse universo paralelo no portal Trance e Cultura Psicodélica.

Fotos: Elan Schinader

São vários os festivais como esse no Rio Grande do Sul e em todo o Brasil, se você se interessou segue abaixo algumas sugestões.

Kundalini Festival – Marau-RS
https://www.facebook.com/kundalini.trance?fref=ts

Vibetronic Serra Gaúcha (Origens Festival) – Caxias do  Sul-RS
https://www.facebook.com/vibetronicRS?fref=ts

Blue Beats Despertar Cósmico Santa Maria- RS

https://www.facebook.com/bluebeats.powwow?fref=ts

 

Gostou do que viu aqui?

Todo sábado enviamos um e-mail com os artigos da semana. Entre em nossa lista:

Juliana Acco

Jornalista, gaúcha, alérgica a corante vermelho e consumidora frenética de informação. Gosto do simples, minha casa é minha mochila e minhas raízes estão nas nuvens. Moro em qualquer lugar, desde que tenha sombra, água fresca e Wi-Fi.