COMPARTILHE

Caminito. Obelisco. Avenida 9 de Julio. Chorizo. Vinhos. La Bombonera. Feira de San Telmo. Tango. Puerto Madero. Cemitério da Recoleta. Avenida Corrientes. Café Tortoni. Alfajores Havanna. Buenos Aires.

Estas e tantas outras tradicionais experiências a se vivenciar na capital portenha que naturalmente não comportaria realizar uma mera e limitada lista escrita. No entanto, quando nos questionamos a fundo sobre nossos limites acerca do que conhecemos de Buenos Aires, nos damos conta que mergulhando em seu vasto e denso campo cultural muitas vezes este nos parece ainda imensamente inexplorado (compreende-se campo cultural em seu sentido amplo tal como as artes, as crenças, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro de determinado grupo social). E, mesmo que sem prévia intenção de nos restringirmos, limitamo-nos aos pontos culturais aos quais nos são constantemente expostos (ou melhor vendidos) geralmente por agências de viagem de nosso país de origem.

Partindo do princípio, do breve conhecimento e compreensão em maior parte acerca da América Latina (e neste caso especificamente de Buenos Aires) é natural que façamos primeiro esse roteiro. De forma alguma este deve ser desprezado, e com toda certeza é natural vivenciarmos primeiramente tal experiência. Porém, pressuponho que em uma cidade de tamanha dimensão, a mesma tem muito mais a oferecer tanto em questões culturais de âmbito geral, quanto em quesitos específicos e particularidades regionais.

Observando essa lacuna ainda aberta sobre possíveis lugares de visitação, que não os já frequentemente citados, surgiu a ideia de Buenos Aires Além do Óbvio, uma coluna a qual pretende abordar a cena cultural da capital portenha de modo amplo, despretensioso e sem restrições (literatura, cinema, moda, pontos turísticos, gastronomia, cafés, etc). Divulgada através do site La Parola com periodicidade quinzenal (e se possível dividida tematicamente).

Logo Buenos Aires Além do Óbvio
Buenos Aires Além do Óbvio – coluna quinzenal sobre a cena cultural da capital portenha

Outro ponto, que neste caso visa-se referenciar pois impulsionou a criação da coluna, ocorreu quando chamada a atenção para a concretização de um intercâmbio acadêmico na capital portenha.  Naturalmente me detive a procurar artigos ou indicações, ou seja, referências do lugar ao qual iria residir. Como surpresa, salvo algumas raras exceções, na maioria das vezes quando me deparava com algum diário de bordo (escrito por intercambistas ou estudantes de áreas distintas que viviam na cidade) a grande parcela acabava por cair nas mesmices coincidentes do que já me poderia ter sido ofertado em inúmeros pacotes de viagem (nada contra as agências de viagem, compreendo que estas são criadas para a obtenção de lucro e visam um público amplo). Geralmente o relato de muitos estudantes abordava unicamente programações absolutamente turísticas e somente possíveis preparando-se com uma boa reserva financeira (o que não é o meu, e creio nem o caso de muitos outros estudantes).

Partindo do princípio de elucidar aos interessados ao menos uma parte, do que os pacotes de viagens não vendem para você, dirige-se a coluna para os entusiasmados com a experiência de um intercâmbio acadêmico, amantes de viagens e curiosos em geral. Esclarecendo que na grande maioria das situações as mesmas serão experimentadas durante a estadia, e por isso, serão descobertas e relatadas ao longo desta experiência. Nunca objetivando classificar o que é “bom” ou “ruim” sobre a cidade e muito menos contando com a pretensão de resenha ou algo do gênero.

Assim, você que pretende visitar os pontos clássicos de Buenos Aires, não desista da ideia, pois possivelmente você encontrará mesmo que em menor número estes eventualmente citados. Entretanto, nas publicações futuras objetiva-se a oportunidade de visualizar possíveis lugares os quais em outros meios não seria capaz tais referências.

É totalmente válido elucidar que o La Parola – Cultura, Arte e Boas Ideias desde o início mostrou-se extremamente receptivo a proposta, e sem este meio, a divulgação dos artigos não seria possível. Enfim, nos encontraremos na próxima publicação com o início efetivo da coluna.

Plaza San Martín, Buenos Aires
Plaza San Martín, Buenos Aires
Foto: Daniele Stuani

Hasta Luego!

Augusto Pereira

Acompanhe também a coluna Buenos Aires Além do Óbvio pelo Instagram. Siga lá: instagram.com/buenosairesalemdoobvio.

Gostou do que viu aqui?

Todo sábado enviamos um e-mail com os artigos da semana. Entre em nossa lista:

Augusto Pereira

Colecionista. Estudante do curso de História da Universidade de Passo Fundo (UPF) e Universidad Nacional de Tres de Febrero (UNTREF). Pesquisador na linha de História Cultural da América Latina.