COMPARTILHE

O inverno na cidade de São Paulo está cada vez mais rigoroso com o passar dos anos e o índice de moradores de rua com doenças causadas pelo clima nesta época aumenta consideravelmente. Pensando em mudar este quadro com pequenos gestos de amor ao próximo, doando peças de roupa em bom estado, várias instituições, como o Hospital da Cruz Vermelha, se empenham em ajudar nesta causa.

Com um dos invernos mais terríveis previsto para 2014, além da Campanha do Agasalho – que atinge todo o território nacional e está com o site oficial de cadastros e informações fora do ar por tempo indeterminado – o que chamou a atenção, foram alguns grupos isolados que resolveram fazer tanto a arrecadação, como a distribuição das peças de roupa, de forma independente e criativa.

Durante o mês de junho, a campanha “Varal Solidário”, começou a se espalhar em algumas cidades do sul do Brasil. A ideia era arrecadar agasalhos e calçados pela vizinhança e, em um determinado dia, disponibilizar todas as peças para moradores de rua estendidas em um varal gigante, numa via de fácil acesso na cidade.

A iniciativa teve um retorno inesperado. Ao todo, cerca de 30 mil peças de roupas foram distribuídas. “Até o dia 26 de junho foram atendidas 5,6 mil pessoas. Foram distribuídas 30.030 peças de vestuário, e 2.821 pares de calçados”, comenta Pedro Amaral, idealizador do evento.

Já na cidade de São Paulo, um grupo de amigos propôs um evento por meio de uma rede social e sua repercussão ultrapassou as expectativas. A ideia consiste na arrecadação de roupas feitas em pontos estratégicos da cidade de São Paulo durante todo o mês de julho e, em seguida, a sua distribuição aos moradores de rua que se encontravam perto destes lugares. O efeito da “corrente do bem” foi enorme. Várias pessoas se dispuseram a participar do processo e fazer as doações.

Em sua primeira ação solidária, o grupo de amigos eleva suas perspectivas para o evento do ano que vem. “Ver pessoas que não conhecíamos doando nos deu mais vontade de realizar esse evento e partir para um projeto definitivo. Várias pessoas vieram nos parabenizar pela ação, conversar, trocar experiências e novas ideias, isso foi gratificante”, conta Marina Oliveira, uma das idealizadoras da campanha.

Em meio a uma estação tão gélida, estas e outras ações sociais provam que ainda é possível encontrar pessoas de bem e se sensibilizar com causas humanitárias. Estes são gestos que não aquecem somente os corpos, mas também os corações de qualquer pessoa, de maneira rápida e fácil.

Se inspire, tenha uma boa ideia e tome uma boa dose de iniciativa!

Gostou do que viu aqui?

Todo sábado enviamos um e-mail com os artigos da semana. Entre em nossa lista:

Amanda Monteiro Turano

Jornalista, lunática, soprano e mochileira nas horas vagas. Pesquisadora de bandas, corações e histórias, sejam elas do cotidiano, dos quadros ou dos quadrinhos, que acredita piamente na arte como uma forma de transformação e fusão, de toda e qualquer questão, que vá da alma até o coração. Escrevo em uma tentativa frustrada de me libertar de tudo aquilo que sinto, eu sinto muito.

Últimos posts por Amanda Monteiro Turano (exibir todos)

COMPARTILHE
  • Kauê Abrantes

    Top em! fazer isso em Jampa vão levar tudinho infelizmente.