Artigos e Crônicas

O foda-se educativo e a sexualidade

sexualidade

Está comprovado: o foda-se é educativo. No primeiro debate do pavilhão principal da Jornada de Literatura, a escritora Mirian Goldenberg falou o que poucos professores gostariam de falar, mas que muitos estudantes gostariam de ouvir: foda-se.

Temos um rockstar na Jornada. Não, temos dois!

O público enlouqueceu quando o Humberto Engenheiro do Hawaii subiu ao palco na abertura da Jornada. Também pudera, o cara é foda. Igualmente, aplaudiu efusivamente a coordenadora Tania Rösing. Também pudera, ela é foda.

O que esperar da 15ª Jornada de Literatura?

Podemos aprender – e muito – com faces e mentes inéditas. E é isso que devemos buscar.

A Jornada é uma namorada

Nunca tinha experimentado um caso com um evento. Namorei a Jornada de Literatura durante a semana inteira de forma intensa como qualquer romance clichê.

Sobre machismo ou sobre traição? Não matem as metáforas!

A metáfora da música Trepadeira, do Emicida possui conotação machista ou é apenas mal interpretada?

A gente gosta do que a gente imagina

Nós gostamos da realidade ou do que imaginamos que seja real? O que a foto do Emerson Sheik dando um selinho em um amigo, o vídeo do garoto dizendo para a mãe que está fumando maconha e o seriado Breaking Bad possuem em comum?

Há um ano atrás, começava a nossa empreitada

Na certidão de nascimento do La Parola consta a data de 16 de agosto de 2012. Fica aqui algumas considerações, reflexões, aprendizados e agradecimentos após um ano no ar.

El Barto estava certo: Destruam as paredes da escola!

Existe toda uma geração que está consumindo muito mais informação através da internet em um mês do que em todo o ano escolar convencional, como não mudar?

A Excentricidade de um Milionário

Professor Zhang, um excêntrico milionário chinês construiu um vilarejo no terraço do prédio onde vive, em Haidian, distrito de Pequim. No entanto, a construção é ilegal e o prédio já apresenta danos em sua estrutura.