Ilustração

Cartunismos, o humor cotidiano de Ício Zamprogna

O cartunista Mauricio Zamprogna é especialista em cartuns, charges, quadrinhos e tiras humorísticas. Ício, como é chamado, teve seus desenhos expostos em salões de humor em Portugal, Itália, Argentina e Brasil. O ilustrador lança agora a revista Cartunismo, de sua autoria, na Feira do Livro de Passo Fundo.

Um ônibus muito louco

tirinhas

The Bus é uma série de tirinhas surrealistas, doidonas e nonsenses criada pelo ilustrador Paul Kirchner. A série foi veiculada na revista norte-americana Heavy Metal entre 1978 e 1985.

Música na cara: Artista desenha capas de discos no próprio rosto

Em homenagem ao Record Store Day, a britânica Natalie Sharp pintou em seu próprio rosto as capas de oito álbuns considerados por ela inspiradores.

As Cartas Zumbis

Dois fascínios em um: Cartas e zumbis. O projeto, hospedado na plataforma kickstarter, obteve 39 mil vezes mais do que o valor esperado para a execução. Veja os desenhos.

John Pugh: “A chave é zombar da realidade e integrar-se na arquitetura”

John Pugh é um artista californiano que denomina suas obras como "Trompe L'oeil" (Enganar o Olho). Conheça um pouco e veja algumas de suas pinturas realistas e tridimensionais nas ruas.

Punhetão: Um Sgt. Pepper’s dos fanzines

O fanzine Punhetão, uma das publicações alternativas mais selvagens — e artísticas — do norte gaúcho, volta a aterrorizar leitores após um hiato de 11 anos.

Bandeiras de Game of Thrones Versão Web

Aproveitando o retorno de Game Of Thrones, retorno espetacular diga-se de passagem, o CollegeHumor uniu a série com a internet. Veja uma ideia de como seriam as bandeiras das corporações se cada uma fosse uma família do universo criado por George Martin.

Os Super-Heróis da Marvel também curtem #selfie

'Vamos salvar o mundo, mas antes deixe eu fazer um #selfie'. Confira a nova série do ilustrador Billy Butcher, com super-heróis da Marvel.

Ilustrações de uma Springfield Pós-Apocalíptica

Nesse exemplo, o ilustrador Tim Doyle reconceituou conhecidos pontos da cidade de Springfield. No lugar do amarelo lúdico, o artista utilizou tons escuros, transformando Springfield em uma cidade desolada e lúgubre.