COMPARTILHE

É natural temer o que desconhecemos. E talvez por isso o medo da morte seja o mais angustiante, dentre todos os nossos temores. Primeiro por que não sabemos o que nos espera do lado de lá – se é que algo nos espera do lado de lá; se é que existe um lado de lá. Segundo por que, nesta vida, só existe uma certeza: cedo ou tarde, a morte irá bater em nossa porta. E não vai adiantar não abrir.

Celina, personagem da obra A Mão de Celina (Ed. Os Dez Melhores, 2014, R$35), conheceu a morte cedo demais. Porém, ao contrário do que costuma acontecer, Celina resolveu ignorar as supostas barreiras que separam a vida da morte, e retornou ao mundo dos vivos. Não somente para se comunicar, como também para participar da vida daqueles que ficaram. Especialmente Edu, seu namorado, que após cinco longos anos de luto finalmente encontrou um novo amor, Jana, e motivos para recomeçar.

A Mão de Celina, segundo livro do escritor gaúcho Jeremias Soares, apesar de tratar sobre a morte – e o que não sabemos sobre ela – é um livro que fala, acima de tudo, sobre a vida: vidas que se cruzam, vidas que recomeçam, vidas que terminam sem, de fato, realmente terminar. E, claro, das coincidências que esta mesma vida costuma reservar aos mais desavisados.

Jeremias-Soares---A-Mão-de-Celina---CapaAtravés de um triângulo amoroso no mínimo curioso, uma vez que uma das três partes está morta, o autor passeia com autoridade e destemor por assuntos que geralmente causam um sério desconforto na maioria de nós, meros leitores mortais.

No entanto, com sua narrativa intensa e envolvente, Jeremias consegue o que parece improvável: tratar de temas duros e obscuros com leveza e humor, prendendo nossa atenção já no primeiro parágrafo.

A estrutura do livro também merece destaque. O autor compôs sua obra de tal forma, que o leitor passa a fazer parte da narrativa, conseguindo, sem dificuldade, estar no lugar de cada personagem, sentindo o que sentem, pensando o que pensam, e entendendo por que fazem o que fazem.

Aliás, desde o lançamento de seu primeiro livro, O Sobrado da Rua Velha (Ed. Multifoco, R$45, 2012), Jeremias Soares já comprovou sua habilidade para contar histórias de suspense e terror sem cair em clichês habituais. Não há efeitos literários especiais em sua obra; o autor não inventa armadilhas para o leitor, e tampouco tenta impressioná-lo com sustos desnecessários.

A Mão de Celina é um livro enxuto e completo, que também abre os trabalhos solos da Editora Os Dez Melhores (www.editoraosdezmelhores.com.br) – uma editora que chega ao mercado editorial brasileiro indo na contramão da proposta da maioria das editoras especializadas na publicação do novo autor: lançar somente dez livros por ano. Talvez menos, mas nunca mais.

E é por este – e por muitos outros motivos, que o leitor somente descobrirá quando embarcar na história de Celina, Edu e Jana – que A Mão de Celina é leitura mais do que recomendada para quem gosta de uma boa história.

O lançamento do livro acontece dia 11 de junho de 2014, entre 16h e 17h, no Café Literário (Praça da Bandeira), durante a Feira do Livro de Canoas/RS. Após, o evento segue no estande da Associação Canoense dos Escritores.

Mais informações podem ser obtidas no blog da Editora Os Dez Melhores (www.editoraosdezmelhores.blogspot.com.br) ou através do e-mail contato@editoraosdezmelhores.com.br.

Jeremias Soares - A Mão de Celina - Convite de Lançamento

Gostou do que viu aqui?

Todo sábado enviamos um e-mail com os artigos da semana. Entre em nossa lista:

Helena Fazollo

Helena Fazollo é jornalista e assessora de comunicação. Contato: helenafazollo@gmail.com.
COMPARTILHE