Daqui a pouco já é hora de colocar as mochilas na mala do carro ou na mala do buzão e partir para a fazenda Evaristo.

Dezenas de psicodélicos hectares aguardam os fãs de boa música, num dos maiores (e melhores) festivais de música do nosso Brasil.

Façam o check list final aí.

  • galocha
  • barraca
  • comida/bebida
  • documentos
playlist psicodália
Foto: Gui Benck

Com isso no pacote você já pode se considerar preparado para o Psicodália 2018. Serão mais 6 dias de muita música, cinema, oficinas, peças de teatro e liberdade no termo mais amplo da palavra, esse retiro carnavalesco é a prova de que ainda existe salvação para a nossa cultura.

Prepare-se para atingir o grau mais alto de virtuosismo budista durante o período que compreende o dia 9 até o 14 de fevereiro.

E para se aprontar para a próxima jornada, aperte play na playlist que o La Parola preparou pra você entrar no clima da viagem. Aperte (um bamba e) o play, são mais de duas horas e meia de muito som.

PS: a playlist será atualizada conforme novos nomes são confirmados no line up

Atrações confirmadas no Psicodália 2018

  • Zé Ramalho
  • Jorge Ben Jor
  • Arrigo Barnabé
  • Som Nosso de Cada Dia
  • Lô Borges
  • Zé Pretim
  • Tutti Frutti
  • Francisco El Hombre
  • Bixiga 70
  • Pedra Branca
  • Mundo Livre S/A
  • Confraria da Costa
  • Bandinha Di Da Dó
  • Apicultores Clandestinos
  • Mustache & Os Apaches
  • Terra Celta
  • La Banda Badalo
  • Pata de Elefante
  • Tulipa Ruiz
  • Max Jakush
  • Aninha Martins
  • Estrela Leminski e Téo Ruiz
  • Bananeira Brass Band
  • Orquestra Manancial da Alvorada
  • Pequena Morte
  • Aminoácido
  • Beach Combers
  • Kiai
  • Mabombe
  • Ema Stoned
  • Yanay
  • Consuelo
  • Abacate Contemporâneo
  • Graveola
  • Ventre
  • Joe Silhueta
  • Trio Quintana
  • Carne Doce
  • Bloco da Laje
  • Machete Bomb
  • Mulamba
  • Boogarins

DETALHES

Psicodália 2018

9 a 14 de fevereiro de 2018

Fazenda Evaristo, Rio Negrinho, Santa Catarina

Ingressos em psicodalia.com.br/ingressos.

Guilherme Espir

Publicitário em formação, zappamaníaco e escritor de fundo de quintal fissurado em música tal qual um viciado à espera da próxima dose, neste caso aguardando em abstinência para o próximo disco.